terça-feira, 22 de outubro de 2013

ESTE MUNDO




O mundo é esse aí, irmão
Imperfeito, perigoso e rápido
O dilema é você entender o momento
Ludibriar a fragilidade e correr para a luz

O porém da história nos percorre
Se ficamos aqui, os ideais morrem
Se adiantamos o passo olhando para trás
Nos iludimos por entre a neblina alheia

Não é nenhuma fórmula que te dão
Nem uma carta de boas ações
Não te dizem sobre a dor dos outros
Mas te vendem problemas sem fim

Jamais te perguntarão tu sobre tu
Nem ao menos ofertarão caminhos para ti
A existência é solitária sim, irmão
E é tu que podes reverter este sentir

Segredos que não são mais secretos
Flutuam num mar limpo e azul
Perdido nas gotas de cada choro
Vai teu pequenino barco, navegante

Navegando, por aí...


(O.L.)