terça-feira, 10 de julho de 2012

SIDERAL



A mim importa quão curto seja esse momento
Em que revestido de tão tenro amor
Eu me renovo e assim adianto a vida

É importante se pensas que ainda vives em mim
Afora os campos que nos percorrem
É a tua face a sorrir

Repenso e me dói que não tenhas esperança
Pois para ser o que sou agora tive que estar contigo
E agradeço por estar em mim o que de melhor há em tu

Não é eterno, se não há intensidade naquilo que desejamos
Nenhuma idéia é concebida para um destino que não nos sirva
Buscar a essência das coisas sem que haja medo e assim apenas ser

Permitir que o novo também vigore
Há tanta coisa por nascer e assim nos acompanhar
Desse modo partilhar o momento, sem nunca ser sozinho
Decidir com um passo a frente, para sempre existirás


(O.L.)

quarta-feira, 28 de março de 2012

QUASE DEUSES





Sim... é claro que você será ferido

A vida não é meramente um lindo oceano azul
Todas as paisagens nascem ao longo do que enxergas

Alivie teu coração, renegue o fardo (de vez em quando)
Admire tempestades, a ponto de chorar sozinho
Desconecte os modismos, libertando sua mente
Desenhe linhas no horizonte e serás feliz

Duplique teus passos, caminhante sobre vales
Negocie o futuro, tempo a iluminar
Perca-se no amor, latifúndio de reflexões
Acalente uma alma ferida, dor solitária

Navegue nas infinitudes, minutos que se vão
Cores negociadas no fim do arco-íris
Desejos que não cabem mais em ti
Verdades que não pertencem somente a mim

Nesta noite toda estrela surgirá
Que você prossiga, que chegue lá
Que descubra quão suave é
Despertando em você o que de melhor há

Que vislumbre a idéia, a vida persiste
Teus sonhos são todos os detalhes
Para que te guie as carruagens 
Como se pudesse ser tudo aquilo que nos ilumina


(O.L.)

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

INVENCÍVEL



Você é aquilo que faz
Nunca aquilo que dizem sobre você
Aquilo que dizem a seu respeito
Soa como fragmentado e inoportuno

Peça para essas pessoas vestirem as suas roupas
E que as mesmas comprem os seus problemas
E, talvez, sonharem seus sonhos
E viverem seus pesadelos

Peça para elas serem você
Por apenas um dia
E então, você será surpreendido
Pelo assombro em suas faces
Pela grata surpresa da mesmice
E da ilusão do despreparo

Não se espante, muitos desses estão por aí
Até mesmo à margem do seu caminho
Entretanto, mantenha seu ser tranquilo
É você quem desmistifica a sua própria jornada
O caminhante sempre é você
Fora isso, esqueça o dilema comum

A grande idéia sobre você
É a que você mesmo unicamente conhece
Reveja sempre seus conceitos e opiniões
Não como um flagelo, como angústia
Mas como um pergaminho sincero 
Daquilo que é válido em você, não nos outros

Seja sereno e observador
Pois os invejosos e seres limitados de espírito não o são
Assim entenderá que o gigante da sua alma
É um anão de coração azul
Poderoso e infinito, mas que nem por isso
Precisa olhar por cima dos outros
Apenas estende a mão, mesmo de baixo
Quando quer partilhar o que tem

No mais, prossiga seu caminho, você sempre é aquilo que faz


(O.L.)