quarta-feira, 19 de novembro de 2008

ÚNICA NOITE


Agora só há uma coisa... não o medo
Do que se desespera... tocar as mãos
Única mensagem, sem voz ou música

Eu e tu, caminhando devagar
Doces nômades, bravos conquistadores

Só há o riso, a alegria, o querer
Essa ânsia infinita de desejar, de poder
Seguindo lado a lado
Ainda se doando mesmo que esquecidos

Segue o destino para quem ama
Almas unidas que transcendem
Corpos ativos que persistem
Olhos atentos que surpreendem