sábado, 23 de fevereiro de 2008

DETERMINANTE


Depois de um tempo
Nossas opiniões se transfiguram
Cerzem caminhos que jamais controlamos
Desaguam onde nunca enxergaremos

Observamos sozinhos a sequência de erros
Buscamos na eternidade a resposta para a imperfeição
Dialogando com o infinito, adentramos no profundo
Passando a existir inseridos no que é comum

Que se perca o medo pelas coisas desconhecidas
Nada é estranho, sem que se toque ou se sinta
Nem é menor por apenas ser pouco visto
Agrega vontade mesclada ao desejo

Não há término para as revoluções, fazes a tua
Ainda sem espada ou sem exército
Teus sonhos, teus ideais
Formam um império que jamais será extinto

Alimenta tuas dúvidas com bons sentimentos
Continuarás na virtude
Derrotarás teus dilemas
Racionalizarás tuas angústias

Se te fazes bem andar entre estrelas
Cultives novos caminhos
Mas jamais te esqueças dos antigos
Pois eles te trouxeram até aqui