domingo, 16 de setembro de 2007

TUDO QUE SEGUE



Ao nascermos, somos lançados
Passamos toda uma vida
Na ânsia de nos encontrar

Fadados a diferentes caminhos
Nos enxergamos sempre sozinhos
Buscamos através de inúmeras tentativas
Desvendar o que é felicidade

Ainda que no mistério das luzes apagadas
Poucos de nós vejamos a grandeza do amor
Somos assim, almas repartidas vislumbrando o todo

Absorvemos nas manhãs o início de tudo
Adentramos na noite, seduzidos pelo novo mundo
Poderíamos ter ido mais longe
Sem ter que nos lamentar
Por não sermos melhores

Tudo segue, mesmo sozinho
A vida continua
E tu saberás para onde partir