segunda-feira, 29 de janeiro de 2007

POR TUA ETERNIDADE



Eles sempre te deixam em território sagrado
Arrecadando tesouros
Fugindo das tempestades
Embarcando em viagens desconhecidas
Partindo rumo ao que não se conhece
Eles mesmos não sabem

Toda pequena história para o que ama
É transcendental
Florestas em olhos atentos
Desertos que transpassam o coração
Nuvens que perpetuam destinos
Sobre corpos amados que existirão

No ambiente renovado
O amor sempre é uma porta aberta
Uma conhecida promessa
Caminhos iluminados
Para os que amam
A certeza de que sentir é pleno
Desejos que libertam

Por tua felicidade
Ama-se o mundo
Pequenino, frágil, belo
Embarca-se sozinho
Viajante solitário
Sobre montanhas, vales e cidades

Encontramo-nos sempre
Um dentro do outro
E ainda assim
Nos desacreditamos
Deixamos nossos barcos ancorados
Sem que possam ir além
Nesse mar azul de amor

Por tua eternidade
A simplicidade detém o bem
Nada te precede
E nem será como antes
Te deixaram em local sagrado
Estarás tranquila
Viverás além
Do que está dentro de ti
A felicidade é tu mesma