quinta-feira, 14 de setembro de 2006

MANANCIAL


Não mensures o horizonte
Apenas observa a reta imponente
A formação perfeita
Teus olhos não se enganam

Distraia teus dias
Eles não se perdem
Foram apenas vividos no ontem
Tu sempre tens tempo de ser feliz no hoje

Não procures dentro de ti somente desertos
Mas encontra a flor singela
Pequenina, ainda não desabrochada
Vive em você, sempre viveu

Fazes sempre uso do bem, o transferindo aos outros
Tua ação resultará em coisas magníficas que não podes imaginar
Mesmo que o mundo não devolva aquilo que aguardas
O que determinas de bondade será um talismã para tua existência

Marca a tua passagem aqui sempre nas manhãs
Para que o anoitecer seja belo, seja calmo
Verás que não há segredo algum no baú da tua vida
Apenas lembranças que te percorrem

E os nossos irmãos que se encontram perdidos
Olhem para as estrelas, a cortina iluminada
Absorvam o profundo que é existir se doando
Descobrindo um lado imenso antes adormecido

Sinceramente, em teu coração, habitua o sentir
Amplia tuas respostas e integra tuas ações
Modifica os que te seguem com olhos
Os marcando apenas com amor incessante

Liberta-te dos maus sentimentos que te corroem
Acalma teu espírito, toca com tuas mãos o amanhã
Viverás todos os dias que te foram dados, em plenitude
E te acostumarás a seguir o destino, trilhando o bem

Nenhum comentário:

Postar um comentário