sábado, 1 de julho de 2006

AZUL


Corra sempre com os ventos
Todas as paisagens se movem
É tu que embarcas no horizonte
Nas circunstâncias que te levam distante

Te anuncia no elementar, no real
Todas as fantasias foram usadas
Cada máscara tem seu motivo, sua expressão
Há detalhes que não se decifram, apenas existem

É esta estrada que os viajantes percorrem
Descobrem novas terras, novos mares, novas almas
Permeiam a possibilidade de tocar o novo
Um mergulho profundo num oceano longíquo

Para sempre estarão mudados, novos sóis
E que não se sintam solitários, há novos desejos
Que não estejam perdidos, sempre haverão estrelas
Que reflitam ao olharem acima, bem dentro do espelho azul

2 comentários:

  1. Nice pictures. Unfortunately I can't read your language. Keep up the post.

    ResponderExcluir
  2. Impressionante seu poema, Orlando. De uma profundidade absoluta e admirável. Parabéns por tão precioso dom!!!

    Abraços

    Thales

    ResponderExcluir