sábado, 22 de julho de 2006

POR DENTRO


Há um homem dentro de mim
Que desenha meu ego inflamado de paixão
Me conduz a um mar de sentimentos
Fazendo que eu esqueça todas as ilusões

Há um poeta dentro de mim
Que me permite viajar em palavras
Conhecer destinos longíquos sem os enxergar
Ser eterno por apenas coexistir para depois tocar

Há uma mulher dentro de mim
Que me faz enxergar o mundo com mais ternura
Amando sem medidas como se fosse um tipo de cura
Desejando por apenas sentir, um milagre a dividir

Há um desejo perdido em minha alma
Adormecido por um instante esquecido
Vagando como nuvens, beijando o paraíso
Alimentando desertos que não cabem em mim

quinta-feira, 13 de julho de 2006

VIAJANTE


Há um amor perdido
Remetido à instâncias
Divagando em ventos distantes
Contornando este lado que não se conhecia

Há desejos feridos
Sobre chagas profundas
Um arremesso no obscuro
Uma tentativa de entender o mundo

Há mergulhos no todo
Enclausurados no que se vivencia
Um achado esquecido
Num amanhecer antes das fronteiras, antes do dia

sábado, 1 de julho de 2006

AZUL


Corra sempre com os ventos
Todas as paisagens se movem
É tu que embarcas no horizonte
Nas circunstâncias que te levam distante

Te anuncia no elementar, no real
Todas as fantasias foram usadas
Cada máscara tem seu motivo, sua expressão
Há detalhes que não se decifram, apenas existem

É esta estrada que os viajantes percorrem
Descobrem novas terras, novos mares, novas almas
Permeiam a possibilidade de tocar o novo
Um mergulho profundo num oceano longíquo

Para sempre estarão mudados, novos sóis
E que não se sintam solitários, há novos desejos
Que não estejam perdidos, sempre haverão estrelas
Que reflitam ao olharem acima, bem dentro do espelho azul