sábado, 13 de maio de 2006

PARA AQUELES


Para aqueles que voam, o azul torna eterno
Para aqueles que correm, todas as estradas têm mistérios
Para aqueles que nos deixaram, jamais os esqueceremos
Para aqueles que ainda acreditam, há esperança quando cremos

Para aqueles que se perderam no caminho, mão sobre a alma
Para aqueles que vivem sob obscuridades, luz na jornada
Para aqueles que entenderam o destino, tranquilidade alcançada
Para aqueles que são ilhas, distâncias inabitadas

Para aqueles que são solitários, os enxerguemos com cuidado
Para aqueles que chegaram aqui, viagem longa, corpo cansado
Para aqueles que abdicaram de tudo, corações raros
Para aqueles que aguardam, a resposta está ao lado

Para aqueles que buscam profundidade, é libertário o desvendar
Para aqueles que nos habitam, metades a explorar
Para aqueles que disseram tanto, agora é tempo de recomeçar
Para aqueles que podem interceder, o segredo está no olhar

domingo, 7 de maio de 2006

CIRCUNSTÂNCIAS


Eu aceito esse destino
E trilho o caminho
Tudo é paisagem
Rios que me seguem
Horizonte que se perde
Ilhas que adormecem

Você virá depois
Um convite solitário
Em uma carruagem iluminada
Percorrendo retas e curvas
Sorrindo às novidades

Eu aceito viver sobre circunstâncias
Desvendando o mistério da noite
Para que se liberte o dia
Sempre acordado aos anseios
Apenas mais uma alma que existe
Escondida num corpo que a antecede

segunda-feira, 1 de maio de 2006

COMPREENSÃO


Não há convites para o deserto
Nem tão pouco se deserdam almas nostálgicas
É um caminho estreito que se trilha
Um fio do nada entrelaçado no que se sonhou

Quando se acorda na realidade possível
Alimenta-se diariamente a esperança
Pedindo, sem saber, que o tempo dure o bastante
Que não haja impiedade em sua passagem

E ao deduzir pequenos manuscritos do viver
Renova-se o pensar em um mar de novidades
Que sugere o passo adiante, a próxima porta a abrir
Mesmo que a chave dela não esteja em tuas mãos

Nada nos torna unidos sem que queiramos
É uma seqüência de ações voluntárias na dimensão do todo
Permitindo poder dialogar um pouco sobre tão antigas coisas
Mas que valem tanto para o surgimento de outras

É libertário entender tão delicadas ações
Sendo necessário estar receptivo ao que cerca
Sem que as alianças se rompam
É primordial que existam