quarta-feira, 1 de fevereiro de 2006

Existencial


Não existe meio amor... tu amas ou não
Não se manipula sob existência, capatazes para sentimentos
Pois o amor não se vende e nem se concebe de modo vil
Ele vem de terras distantes, como um misterioso estrangeiro

Não se delimita o amor, pois ele não tem arestas e nem tangentes
Se nos tornarmos seu aliado, quando ele a nós se apresenta
Nossa jornada é mais suave e a estrada mais plana
Sem curvas sinuosas ou abismos de decepções pré-concebidas

Se quiseres te sentir em plenitudes, amas sem medida
Como se fosses exatamente aquele que desejas, o outro
Diagnostica tua causa como sendo uma entrega
Pois não se ama sem que haja territórios cedidos

E na validade de tudo isto que se projeta
Sentirás exatamente o conteúdo do amor
Pois não há manuais ou guias para se amar
É apenas permitir que as sensações fluam sobre a matéria
E tu te transformes em alvo desejado que também deseja

São instâncias do amor
As demais tu irás construindo... amando

Um comentário:

  1. LINDÍSSIMO! Sou amiga da Lu (lurdes) e vi um de seus poemas no orkut dela. Não resisti e "invadi" seu blog. Achei seus poemas maravilhosos, parabéns. Quanta verdade dita em versos...
    Um abraço,
    Thereza Moreira

    ResponderExcluir