quinta-feira, 29 de dezembro de 2005

Visões


E verás em mãos que desenham o tempo
Pois saberás que tudo é mutável, mesmo que toques
E te lembrarás que o que viveste é herança
E entenderás que do lado de fora há um mundo ainda

Correrás por campos imensos, até te cansardes
Te deitarás em tenras gramas que acolhem
Falarás baixinho, pois se tu quiseres elas te escutarão
E serás melhor, pois te atentarás aos que sempre te viram

Modificarás tua história, não confrontando o destino
Viverás cada etapa, cada minuto, cada instância
E estarás no ciclo que sonhaste tempos atrás
Este preencherá as lacunas que restam em ti

Absorverás tudo e te sentirás livre

Um comentário: