sábado, 10 de dezembro de 2005

Variáveis


Quando me pedes que eu seja sempre o mesmo
Tu não entendes que a metamorfose é natural
Pois permite-se assim que a evolução tenha continuidade
Que o melhor em nós não seja apenas mais um relato

Peço-te apenas compreensão sobre aquilo que nos cerca
As variáveis são infinitas e o tempo as intermedia
Estejas serena, pois quando digo que aos poucos estarei mudado
Não incluo nesse prosseguir a minha essência
Ela permanece a mesma, é a minha própria matriz

Entretanto, a noção de existir ao longo da caminhada,
A simbiose com tudo que a vida apresenta como plataforma,
O querer aproximado e sentido tantas vezes... todos mudarão
Pois serão filtrados para que haja continuidade na melhoria

E entenderás a razão da evolução
Onde a luz se tornará incandescente
Saberás que as mudanças ocorrem naturalmente
E desejarás que elas viabilizem o bem maior, muito maior

Um comentário: