segunda-feira, 3 de outubro de 2005

Mergulho


Deixa que o tempo seja nulo
Que a história fale do que foi absurdo
E o que achamos transpasse os muros
Pois jamais fomos mudos

Caminhemos sem passos largos
Levemos aqueles que precisam em nossos braços
Preferindo a simplicidade do contato
Tão nobre ato que deveria existir de fato

Viabilizar a diminuição da dor
Provocar a epidemia do que contenha verdadeiro valor
Disseminar a transferência de existencial amor

Querer a chave do escondido
Decifrar qualquer dilema obscuro
Basta apenas que você se projete em um simples mergulho

Um comentário:

  1. Mergulho simples ... que parece simples. Existe tanta beleza na simplicidade... um exercício que deveria ser praticado diariamente, nas pequenas coisas...

    Palavras bonitas, amigo poeta. Gostei muito. Parabéns!

    ResponderExcluir