sexta-feira, 16 de setembro de 2005

Sempre Assim


Nas tempestuosas batalhas que a vida promove
Encontra-se o estímulo para àqueles que seguem adiante
Mesmo que as respostas não sejam as desejadas
É dessa forma que se viabiliza o passo da caminhada

Cada qual procura entender porque não chegou onde sonhou
E de que forma não cumpriu todas as aspirações que a alma compôs
Deveras que num limiar de esperança entende-se o fato
Pois a chave do baú que procuramos todos os dias, não é nossa

Lembrando que tudo é azul em seu limite
Acalenta-se um pouco o desencanto
Tendo então novos braços para abraçar o mundo

Na trajetória da caminhada
Ir ao longe é real
Mesmo que tu ainda estejas onde tua alma não quer estar