segunda-feira, 8 de agosto de 2005

Sobre Instâncias


Corrompi toda a essência naquela curva
Quando o viés de querer
É mais híbrido do que o ir
Quando doces sentimentos vão sobre escadas

Fui na eternidade em um dia, um instante
Ao presenciar um sorriso teu
Luz antropofágica, me consome
Cadencia minha própria existência

Nos teus olhos, Mar Egeu
Luto em vão, pois és maior
Sobre instâncias que me arrebatam
Em um puro sinal de desejo

Em uma breve forma, diminuta
Enclausura-se o cuidado
Vou-me adiante, na estrada incessante
De querer apenas tocar em teus cabelos
E quem sabe, conhecer teu corpo
Como já conheço a tua alma
Há tanto tempo...

Um comentário:

  1. Poesia envolvente, profunda e esplendorosa. Meus cumprimentos.

    Marcos

    ResponderExcluir